diabetes

Tratamento do diabetes na terceira idade

Idade avançada requer análise clínica e tratamento específico

A terceira idade é um período acompanhado de diversas mudanças no corpo humano. É comum perceber alterações no paladar, no apetite, na visão, e até mesmo no condicionamento físico, por causa da redução de massa muscular. Além destas alterações, na terceira idade é mais comum a ocorrência do diabetes. No Brasil, são aproximadamente 13 milhões de diabéticos, de acordo com a International Diabetes Federation (IDF). Destes, cerca de um terço têm mais de 65 anos, segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

Entre os principais fatores que cooperam para o quadro de diabetes na terceira idade está a  diminuição da produção de insulina, hormônio que mantém a glicose no interior das células. Com mais açúcar no sangue, é comum que o pâncreas dos idosos fique sobrecarregado. Outro agente que pode colaborar para o diabetes na terceira idade é a sarcopenia, ou seja, a diminuição da massa muscular. Com a diminuição da frequência de atividades físicas e uma rotina de alimentação desequilibrada, o idoso perde músculo e passa a ganhar massa gorda. Um dos motivos do agravamento deste quadro é a substituição de refeições importantes como almoço e jantar por pães ou bolos, justamente porque são alimentos fáceis de mastigar, visto que é comum enfrentar dificuldade na deglutição e na mastigação nessa idade. O aumento de massa gorda é um dos principais fatores que acarretam o surgimento de diabetes do tipo 2 nesta fase da vida, visto que os músculos consomem glicose. Com o aumento do nível de gordura, o organismo se torna cada vez mais resistente à insulina.

É necessário permanecer o alerta durante o tratamento de pacientes idosos diabéticos, visto que essa parcela da população é predisposta a desenvolver doenças cardiovasculares, infartos e complicações como amputações, cegueira e insuficiência renal. Por isso, além das grandes chances de desenvolvimento do diabetes, a terceira idade também tem maior probabilidade de enfrentar consequências mais graves da doença.  

No tratamento do quadro do diabetes na terceira idade, é preciso levar em consideração que a maioria dos pacientes desta faixa etária já faz uso de outros medicamentos para diagnósticos diversos. Por isso, neste caso, a alimentação equilibrada e as atividades físicas são imprescindíveis. Porém, é importante salientar a relevância da atividade física que envolve força muscular, e não apenas a aeróbica, como caminhadas – prática comum entre idosos. Para que o tratamento seja eficiente, o paciente precisa diminuir a quantidade de massa gorda e ganhar músculos. Além disso, mesmo que seja necessário o uso de medicação para controlar a glicemia, o diabético deve ter consciência da pertinência do consumo equilibrado de frituras, doces, carboidratos e frutas para um tratamento eficaz.