Insulina inalada promete revolucionar o tratamento do diabetes

Anvisa aprova medicamento que pode melhorar a qualidade de vida de diabético

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), aprovou na última segunda-feira, dia 3 de julho, a comercialização da primeira insulina inalada do Brasil. O medicamento é caracterizado por uma forma diferente de administração da insulina. Até então, a forma de aplicação do hormônio era através de uma injeção no tecido subcutâneo por meio de uma pequena agulha. Entretanto, a maioria dos pacientes diabéticos precisa aplicar a insulina mais deu uma vez ao dia. Por isso, quem sente algum desconforto causado por agulhas ou tem receio de realizar aplicações na pele pode encarar a injeção de insulina como um problema. Uma alternativa para a administração da insulina sempre foi procurada para que a qualidade de vida de quem realiza tratamento para diabetes fosse melhor.

A tecnologia da insulina inalada é diferente: ela se apresenta na forma de microesferas que atingem os alvéolos pulmonares, proporcionando, assim, uma absorção mais rápida pela circulação sanguínea. Esse formato apresenta a absorção mais rápida do mercado. O procedimento de inalação é como o de uma bombinha utilizada por pacientes com asma, ou seja, o paciente inala o medicamento pela boca.

Após as refeições, as pessoas com diabetes podem apresentar picos no nível de glicemia, e por isso, quanto mais rápida a ação da insulina para metabolizar carboidratos e açúcares, melhor. Por isso, o novo medicamento é apropriado para situações em que a absorção deve ser mais rápida do que a injeção.

A insulina inalada não substitui por completo o uso da injeção, mas pode diminuir a frequência de aplicação. Diabéticos com o tipo 1 e 2 da doença poderão utilizar o medicamento, porém a insulina inalada será ainda mais utilizada por aqueles que necessariamente precisam da aplicação diária do hormônio, ou seja, indivíduos com diabetes de tipo 1.

O medicamento ainda não está disponível para comercialização no Brasil, mas deve ser lançado em breve no país pelo laboratório Biomm. Entre as contraindicações, estão: pacientes com problemas pulmonares e fumantes não devem utilizar o medicamento por causa da baixa absorção proporcionada pelos pulmões dessas pessoas. A insulina inalada também não é apropriada para menores de 18 anos, pois não foi testada nessa faixa etária.